Bem-estar: os benefícios de uma vida ativa

Assunto: Saúde e Prevenção

 

Sabemos que a expectativa de vida das pessoas tem aumentado a cada ano. Em 2030, é provável que ela seja de 80 anos ou mais em alguns estados brasileiros, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Estima-se que 70% da longevidade de uma pessoa se deva ao estilo de vida e apenas 30% corresponda aos fatores genéticos. Em outras palavras, seus hábitos de vida são os indicadores mais importantes e decisivos no que diz respeito ao seu estado de saúde ou doença.

Fora isso, além de influenciarem no seu tempo de vida, também são eles que determinam sua produtividade, capacidade cognitiva e bem-estar.

Recomendações conhecidas e importantes acerca de alimentos saudáveis – como beber mais água, reduzir o consumo de açúcar e sal, parar de fumar, diminuir a ingestão de álcool – são potencializadas por uma vida ativa.

 

 

A melhora da qualidade de vida está relacionada ao gasto calórico diário, e isso não implica necessariamente na realização de uma atividade física formal; a ideia é movimentar-se o máximo possível.

Para isso, é preciso deixar um pouco de lado elevadores e escadas rolantes. Quem mora ou trabalha em andares mais altos, por exemplo, pode sair do elevador dois andares antes e continuar a subida pela escada. Na hora de estacionar o carro no shopping ou em outro estabelecimento, também vale procurar uma vaga mais distante da entrada.

Depois do almoço, em vez de ficar conversando à mesa ou voltar direto para o trabalho, dar uma ou duas voltas no quarteirão é um hábito saudável. Durante o dia, também é possível ir tomar um café a um ou dois quarteirões de distância do trabalho.

A prática regular de exercício físico é uma forma saudável e segura de prevenção contra várias doenças relacionadas ao sedentarismo. Esse hábito proporciona equilíbrio e melhor qualidade de vida, ajuda a manter o corpo saudável, com o peso ideal e fisicamente ativo.

 

 

Os exercícios físicos são responsáveis por inúmeros benefícios, como: recarregar nossas energias; melhorar o humor; aumentar nossa autoestima; melhorar o funcionamento das funções vitais do organismo; emagrecer de forma saudável; manter o peso ideal; reduzir a ansiedade e o estresse.

 

Evite ficar sentado durante muitas horas

O nosso corpo simplesmente não foi projetado para ficar várias horas sentado. Quando estamos em pé, ou mesmo sentados sem encosto, nossos músculos abdominais ficam ativos e isso ajuda nossas costas a apoiarem o peso do corpo.

Por outro lado, quando sentamos em uma cadeira, esses músculos relaxam e, subitamente, nossa coluna tem que suportar a parte superior do tronco sozinha, fazendo com que o esforço extra coloque pressão sobre os discos da coluna vertebral e possa, eventualmente, levar a uma dor crônica nas costas algo nada incomum nos dias de hoje.

Além disso, o ato de sentar, por si só, já desencadeia uma série de processos metabólicos em nosso corpo, tais como:

  1. A atividade elétrica dos músculos das pernas é cessada: os músculos que estão imóveis perdem gradualmente a capacidade de metabolizar gorduras e açúcar tão eficientemente quanto deveriam;
  2. A queima calórica é reduzida: passamos a queimar apenas 1 caloria por minuto, quando o normal seria de 3,5 a 5 calorias nesse mesmo período;
  3. A quantidade de lipoproteínas lipase (LPL) é reduzida: a LPL é uma enzima que ajuda a quebrar moléculas de gordura. Quando você se senta, a produção dessa enzima é reduzida em 90%;
  4. O colesterol HDL diminui: após duas horas sentado, o HDL, que evita a formação de placas de gordura nas artérias, diminui em 20%.
  5. A respiração se torna superficial semi-permanente: sentar-se por longos períodos de tempo pode encurtar os músculos frontais. Isso afeta sua respiração e sua capacidade pulmonar, o que significa menos oxigênio em seu organismo e, portanto, menos energia.
  6. O coração é o que mais sofre: a inatividade provocada pelo excesso de tempo sentado provoca mudanças prejudiciais nos músculos. Isso aumenta a resistência à insulina – sua eficácia cai 24% – e o nível de gordura no sangue, o que pode levar a uma série de problemas cardiovasculares e diabetes.

“Para quem precisa trabalhar sentado, exercícios simples de alongamento vão trazer maior oxigenação e ajudar no reposicionamento do corpo para alcançar o equilíbrio postural”, ensina o fisiologista do esporte Raul Santo de Oliveira.

 

Fontes:
Paulo Zojaib, fisiologista e médico do esporte da Unifesp e Maysa Guimarães, nutróloga dos hospitais São Luiz, Albert Einstein e Leforte
Dalva Poyares, neurologista e coordenadora do Instituto do Sono da Associação Fundo de Incentivo à Pesquisa (AFIP)
http://guiadaboaforma.com.br/habitos-de-vida-saudaveis/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *