Cranioplastia: tudo o que você precisa saber

Assunto: Cranioplastia

 

Cranioplastia é a reparação de um defeito ou deformidade do crânio. As causas para este tipo de problema são diversas, entre elas: cirurgias anteriores, tumores cerebrais, deformidades genéticas e traumas causados por acidentes.

Além de não serem agradáveis esteticamente, as deformidades cranianas podem representar riscos maiores ao paciente e, por isso, são casos delicados. Existem diferentes tipos de cranioplastias e materiais utilizados para o procedimento, no entanto os mais comuns são o titânio (em forma de placa ou malha), e o substituto ósseo sintético, que pode ser pré-fabricado ou moldado no momento da cirurgia.

Saiba mais sobre as indicações, riscos e recuperação de uma cranioplastia:

O procedimento cirúrgico é realizado com anestesia geral e a prótese é inserida no local lesionado. O osso circundante deve ser corretamente preparado pela equipe, para que receba o implante e a prótese tem que ser perfeita em suas dimensões para que não ocorram problemas durante a cirurgia. A fixação da prótese é realizada através de parafusos e placas ligados aos ossos cranianos.

As principais indicações para realização de cranioplastia são:

– Segurança do paciente: dependendo do local em que se apresenta a deformidade craniana, o cérebro pode ficar mais exposto e por isso vulnerável a danos.

– Função neurológica: a cranioplastia pode melhorar a função neurológica em alguns pacientes.

– Estética e aparência: há casos em que, mesmo não apresentando risco, a lesão causa defeitos estéticos incômodos ao paciente. Quando corrigida pode melhorar a auto-estima e confiança nesses casos.

– Dores de cabeça: dores de cabeça podem ser comuns em caso de cirurgias ou lesões cranianas. Desta forma, a cranioplastia também pode reduzir as dores de cabeça decorrentes destes problemas.

Materiais utilizados na cranioplastia:  

Prótese customizada em Titânio: é produzida em uma liga de titânio, resultando em uma peça com encaixe anatômico perfeito, reconstruindo funcional e esteticamente o crânio do paciente. A liga de titânio apresenta excelente biocompatibilidade e resistência mecânica. Além de possuir capacidade de osseointegração, permitindo que o tecido ósseo se integre a prótese nas áreas em que ambos se tocam, por sua alta afinidade com este material. O titânio apresenta ainda outras vantagens como o estímulo à aderência tecidual que acelera o processo de cicatrização, após a cirurgia e grande durabilidade, sem necessidade de substituição.

Prótese customizada em PEEK: o PEEK é um polímero com alto grau de biocompatibilidade e baixa densidade, normalmente  inferior a ligas metálicas biocompatíveis, o que o torna extremamente leve e recomendado para produção de próteses customizadas.. O material permite ainda com a vantagem de ser inerte a equipamentos magnéticos.

Prótese customizada em PMMA: o PMMA é uma abreviação para ‘Polimetilmetacrilato’, um polímero acrílico biocompatível muito adotado em cranioplastias. Calotas cranianas em PMMA são produzidas com uso de moldes customizados, e é comum que esse tipo de prótese seja modelada dentro do centro cirúrgico com a supervisão do cirurgião. Entre os principais benefícios da adoção do PMMA em cranioplastias estão principalmente a agilidade na produção e seu baixo custo quando comparado com outros materias adotados em cranioplastias, além disso também é inerte a equipamentos sensíveis a metais. O PMMA é utilizado há mais de 40 anos e por isso comprova sua eficácia.

Recuperação:

A recuperação após uma cranioplastia costuma ser rápida e o paciente é liberado do hospital apenas alguns dias após o procedimento. No entanto, por se tratar de uma cirurgia em região delicada, o acompanhamento pós cirúrgico é intenso, especialmente nas primeiras horas após a cirurgia. Também é comum que antes da sua liberação o paciente repita uma tomografia, para verificar o perfeito encaixe da prótese e normalidade das suas funções cerebrais.  

No entanto, mesmo depois de receber alta, o paciente precisará continuar com cuidados básicos e atento há alguns sinais: dores de cabeça podem aparecer de forma intermitente, também é comum apresentar cansaço e necessitar de algum repouso durante o dia. O paciente leva algum tempo até se sentir plenamente pronto para a sua rotina normal e, em alguns casos pode ser necessário acompanhamento para reabilitação. Além disso, alguns sintomas mais graves precisam de atenção e devem ser reportados com urgência à equipe médica responsável, entre eles: febre, convulsões, infecção ou vazamento de líquidos no local da cirurgia e dores fortes de cabeça.

Riscos:

Como em qualquer procedimento cirúrgico, também na cranioplastia podem haver riscos. O ideal é que isso seja discutido com o médico, no momento da consulta pré-operatória. Algumas das complicações podem ser: infecção (o médico avaliará o uso de antibióticos), aumento da ansiedade, coágulo sanguíneo (que pode requerer drenagem) e AVC (Acidente Vascular Cerebral). Outras complicações não relacionadas diretamente com a cirurgia também podem ocorrer, entre elas: infecção urinária e pneumonia.

Quer saber mais sobre o procedimento e materiais disponíveis? Entre em contato.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *