PMMA, PEEK e TITÂNIO: diferenças e pontos fortes de cada um

Assunto: Cranioplastia

 

A prioridade cirúrgica é a chave para a escolha do material mais indicado, seja para proteger o cérebro do paciente com um implante durável e estável ou para a utilização na odontologia ou em próteses diversas.

Compreender os objetivos cirúrgicos de curto e longo prazo combinados com informações dos materiais são fatores que ajudam na escolha e adequação à necessidade do paciente.

 

Conhecendo as características de cada material

O titânio é o nono elemento químico em abundância na crosta terrestre. No entanto, sua produção é pequena devido à especificidade do processo de redução do minério até chegar ao elemento, que não é encontrado em sua forma pura.

Possui altíssima resistência mecânica e à corrosão. Sua resistência mecânica é semelhante ao aço, com aproximadamente metade do peso, e sua aplicação é frequente nas áreas médica, aeroespacial,  automotiva, esportiva e de vestuário.

A utilização do titânio em próteses customizadas apresenta excelente biocompatibilidade, comprovada pela raridade de reações alérgicas a ele e às suas ligas e pela resposta favorável dos tecidos, reconstruindo funcional e esteticamente o crânio do paciente.

A liga de titânio possui capacidade de osseointegração, ou seja, permite que o tecido ósseo se integre à prótese nas áreas em que ambos se tocam. Enumeram-se ainda outras vantagens, como o estímulo à aderência tecidual que acelera o processo de cicatrização após a cirurgia e a grande durabilidade, eliminando a necessidade de substituição.

Existem, porém, algumas lacunas em relação ao processamento laboratorial do titânio, incluindo o custo elevado dos equipamentos. Por isso, são necessários mais estudos e aperfeiçoamento tecnológico nesses aspectos, a fim de minimizar tais limitações e possibilitar um maior alcance social das próteses confeccionadas em titânio.

 


O PEEK, ou poliéter-éter-cetona, é um dos polímeros de mais alto desempenho na indústria médica atual, oferecendo uma excelente combinação de resistência à fadiga e resistência química e podendo operar em temperaturas elevadas mantendo suas propriedades mecânicas excelentes.

Essas propriedades, aliadas a uma resistência química excepcional, permitem que ele possa substituir o metal em ambientes extremos de aplicações finais, como nas áreas médica, aeroespacial, automotiva e em indústrias de petróleo e gás.  

O diferencial da Prótese customizada em PEEK, é o alto grau de biocompatibilidade e baixa densidade, normalmente  inferior a ligas metálicas biocompatíveis, mas extremamente leve e recomendado para produção de próteses customizadas em inúmeras aplicações.

O PEEK apresenta alto desempenho em próteses, com uma elasticidade muito próxima a do osso, tenacidade e resistência à fadiga. O material permite ainda o monitoramento médico, com a vantagem de ser inerte a equipamentos magnéticos.

 

 

O PMMA é usado desde 1940 para a reparação dos defeitos craniofaciais e é a escolha de muitos profissionais na área médica. A sigla é uma abreviação para “polimetilmetacrilato”, um polímero acrílico biocompatível muito adotado em cranioplastias.

Entre os principais benefícios da adoção do PMMA em cranioplastias estão principalmente a agilidade na produção e o seu baixo custo quando comparado a outros materiais adotados em cranioplastias.

A moldagem do PMMA é realizada com molde customizado produzido em material biocompatível e altamente resistente à temperatura, o que possibilita a esterilização por autoclave. A modelagem da prótese é realizada no ambiente cirúrgico, conferindo mais agilidade e precisão ao procedimento.

 


A prótese customizada em PMMA é uma excelente alternativa nesse tipo de reconstrução, tendo em vista seus benefícios na precisão do contorno craniano e por facilitar a técnica operatória.

Outro benefício observado é  o fato de o PMMA ser radiopaco e, por isso, possibilitar exames radiológicos para monitoramento e checagem no pós-operatório.

Como em qualquer outro procedimento cirúrgico, existem riscos e o ideal é que tudo seja discutido com o médico no momento da consulta pré-operatória.

 

Fonte: http://www.rbcp.org.br/
https://medcad.net/peek-vs-pekk-pmma-porous-polyethylene-and-titanium-mesh/
https://www.institutodeengenharia.org.br/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *